Gestantes demonstram especial preocupação no trabalho com radiação. Nos serviços de saúde a NR-32 (Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde) indica como proceder:

“32.4.4 Toda trabalhadora com gravidez confirmada deve ser afastada das atividades com radiações ionizantes, devendo ser remanejada para atividade compatível com seu nível de formação.”

Mas deve-se perguntar:

O que fazer caso a gestante não trabalhe em serviços de saúde?

A NR-32 não será aplicável e é ilegal afastar uma mulher de seu trabalho por estar grávida (exceto por recomendação médica). A Lei ainda mantém diversas lacunas no que tange as radiações.

Remanejar a gestante para outro serviço compatível com seu nível de formação não é uma recomendação técnica, visto que o feto deve ser tratado como indivíduo do público (limite de 1 mSv/ano) e isso não necessariamente impossibilitará o trabalho da gestante. Por outro lado percebe-se alívio por parte da futura mãe (que se sente mais segura) e também do empregador (que evitará processos complicados em caso de má formação do feto) após a troca de função.

Adicionalmente, não se tem notícia de alguma gestante que tenha reclamado por não trabalhar com radiação.

 

Cordialmente,

Eng. Martin Elbern